> Em breve muitas novidades. Fiquem atentos ao nosso portal.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Santa Luizia acolhe São João Bosco

No próximo sábado, dia 30, a Paróquia de Santa Luzia recebe a visita da imagem de São João Bosco, padroeiro de Gramoré. Com a chegada as 6h00, na igreja de Santa Maria Madalena, em Nova Natal. Haverá reza do terço, orações e louvor. A Igreja ficará aberta durante todo o dia. As 18h30 saíremos em procissão para Gramoré conduzindo as imagens de Dom Bosco e Santa Luzia, para a celebração da Santa Missa, presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Natal, Dom Matias Patrício de Macêdo. A atividade faz parte da Festa de Dom Bosco 2010, que realizar-se-á no período de 22 a 31 de janeiro. No mesmo dia, a programação social da festa contará com um show de Pe. Humberto Negreiros (Adm. Paroquial de Santa Luzia) e também será o jantar de confraternização.

Natal receberá relíquias de Dom Bosco

A urna com as relíquias de Dom Bosco chegará a Natal, dia 29 (sexta-feira) deste mês. A chegada está prevista para às 8 horas, em Neópolis. De lá, será translada, em carreata, para a Catedral Metropolitana, onde haverá celebração eucarísica, às 9 horas. Logo após, será conduzida até o Colégio Salesiano São José, na Ribeira, onde ficará aberta para visitação do público. Às 14h30, a urna será levada até o Centro Educacional Dom Bosco, no Gramoré. No dia 30, às 5 horas, a urna partirá para a cidade de Areia Branca, no oeste potiguar.
A urna é sustentada por quatro pilares, nos quais se gravaram as datas relativas ao bicentenário do nascimento (1815-2015), o escudo da congregação salesiana e o lema carsimático de Dom Bosco: "Da mihi animas caetera tolle" (Dai-me almas e ficai com o resto).
A urna traz uma estátua do Santo, com as roupas que ele utilizava para celebrar a missa. No travesseiro sobre o qual está a cabeça da imagem, encontra-se a relíquia: a mão e parte do braço direito do fundador dos Salesianos. A peregrinação faz parte da preparação para a comemoração do bicentenário de nascimento de Dom Bosco, em 2015. A primeira etapa da peregrinação foi na Itália, em junho de 2009, e, depois, partiu para os países da América Latina.

CNBB: Igreja faz campanha para o Haiti

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB e a Cáritas Brasileira realizam a Campanha SOS Haiti. “Em meio às desalentoras notícias que chegam a cada momento, dando conta das trágicas consequências do terremoto que aflingiu o Haiti, a CNBB se une à multidão de homens e mulheres que, nestas circunstâncias, têm a ousadia de quem se atreve a esperar contra toda esperança, para apresentar à Igreja e a todo povo do Haiti a solidariedade em orações, palavras e gestos”, diz o Presidente da CNBB, Dom Geraldo Lyrio. A Arquidiocese de Natal está empenhada na Campanha. Serão confeccionados envelopes padronizados e distribuídos nas paróquias, para facilitar a participação das pessoas. Em Natal, o dia “D” da Campanha será 7 de fevereiro, quando as pessoas poderão dar a contribuição, colocando-a no envelope e entregando em suas paróquias. Além disso, as pessoas também podem fazer doações, depositando em uma das seguintes contas:

Banco do Brasil - Agência 3475-4, Conta Corrente 23.969-0;
Caixa Econômica Federal - Op. 003, Agência 1041 - Conta Corrente 1132-1; e
Bradesco - Agência 0606, Conta Corrente 70.000-2.
O CNJP da Cáritas Brasileira é: 33.654.419/0001-16.

O adeus a Zilda Arns

A médica pediatra e sanitarista Zilda Arns, que dedicou a vida a salvar crianças da morte será enterrada neste sábado, no cemitério da Água Verde, em Curitiba, numa cerimônia reservada à família. O corpo dela chegou de madrugada e foi levado para o Palácio das Araucárias. Milhares de pessoas foram se despedir da coordenadora da Pastoral da Criança. Entre elas dois presidenciáveis – o governador José Serra, e a ministra Dilma Roussef, que chegou em companhia do presidente Luiz Inácio da Silva, já no início da noite.
Ao deixar o velório, Lula declarou que o momento vivido no Haiti não é fácil pois se pode considerar que, além dos 14 militares brasileiros mortos, os quatro que continuam desaparecidos também podem ter morrido. Lula citou ainda “um funcionário brasileiro nas Nações Unidas” (Luiz Carlos da Costa, segunda maior autoridade da ONU no Haiti), que também continua desaparecido. Com relação à morte de Zilda Arns, o presidente disse que “foi uma grande perda para o Brasil e para o mundo”. Para Lula, “todas as pessoas que morreram (em consequência do terremoto) estão simbolizadas na figura de Zilda Arns”.
Lula disse ter dito à família Arns, com a qual se reuniu por 45 minutos no Palácio das Araucárias, sede do governo do Paraná, que nessa hora em que todos choram, o importante é que as ideias de Zilda tenham encarnado na mente dos brasileiros. “Que a partir do exemplo dela todos nós sejamos mais solidários e humanistas”, acrescentou.O presidente encerrou a entrevista dizendo que tem a certeza de que Zilda não se arrependeria de nada do que fez. “Se voltasse a viver, ela faria tudo outra vez, inclusive voltaria ao Haiti.”
A coordenadora da Pastoral da Criança da Arquidiocese de São Paulo, Maria do Rosário Gazzola, disse que a maior lição deixada por Zilda foi a importância de vincular espiritualidade e trabalho. Sempre que ia visitar a pastoral paulista e tínhamos algum encontro com políticos ou nos dirigíamos a alguma comunidade, ela entrava no carro e nos convidava a rezar pela missão daquele dia. Atitudes que segundo a coordenadora, deixava todos seguros e animados. É com esse ânimo que continuaremos nosso trabalho junto s famílias que moram em favelas, cortiços e acompanharemos as 16,5 mil crianças atendidas pelas seis regiões episcopais da cidade.

Viagem ao Haiti
A irmã Rosângela Maria Altoé, contou ontem detalhes da morte de Zilda Arns, que deveria ter ido ao Haiti em agosto, mas terminou adiando a viagem em função de vários contratamentos. Emocionada, ela contou que a médica estava feliz com o resultado da palestra, já que os presentes demonstraram muito interesse pelo trabalho das pastorais da Criança e do Idoso. Segundo ela, ao final da apresentação, Zilda Arnas respondeu a várias perguntas de religiosos que participaram do evento. Enquanto a médica conversava com o coordenador do evento, Padre William, a religiosa foi buscar o material da palestra e a bolsa de Zilda.
“Naquele momento, o prédio começou a balançar de um lado para o outro, eu ouvi um estrondo como se fosse uma bomba e em questão de 30 segundos, o prédio ruiu.” Nesse momento, ela disse que subiu tanta poeria que a impedia de respirar. Segundo a religiosa uma laje que caiu a seu lado a impedia de ver o que estava acontecendo.
Ela disse saltou os escombros até chegar rua, sem saber o que acontecia realmente. Ao chegar rua, as pessoas lhe perguntavam por Zilda. Ela ainda quis voltar ao prédio, mas viu que não tinha condição e ali entendeu que seria um milagre encontrar a médica viva. “O que eu vi na rua nunca vou esquecer. Na escola ao lado do prédio eu ouvia gritos de crianças e via o desespero das mães procurando seus filhos.”

Vaticano envia mensagem a D. Paulo Evaristo Arns
Brasília (ABr) - O Vaticano enviou mensagem de condolências a dom Paulo Evaristo Arns, cardeal emérito de São Paulo e irmão da médica Zilda Arns, fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança, morta no terremoto de terça-feira em Porto Príncipe, capital haitiana. Por motivo de saúde, dom Paulo Evaristo não participa do velório da irmã, em Curitiba, no Palácio das Araucárias, sede do governo paranaense.
“A notícia de que umas das milhares de vítimas do terremoto era a médica Zilda Arns, que estava em missão em Porto Príncipe, foi recebida com viva dor no Vaticano”, diz a nota da Santa Sé. O texto destaca que a médica foi morta quando se empenhava na difusão da Pastoral da Criança no país caribenho, que sofre tanto com a pobreza quanto com a violência.
Na mensagem, o Vaticano expressa pesar a dom Paulo, família e a todo o corpo de voluntários da Pastoral da Criança e manifesta a certeza de que a obra generosa da doutora Zilda, inspirada e sustentada nos mais altos valores do Evangelho, continuará a dar frutos para inúmeras crianças e idosos espalhados por tantas regiões pobres do mundo.


fonte: Internet

sábado, 2 de janeiro de 2010

VII Assembléia Pastoral Paroquial

Com o objetivo de avaliar as atividades realizadas em 2009 e elaborar o plano de ações para 2010, realiaremos a nossa VII Assembléia Pastoral Paroquial, nos dias 16 e 17 de janeiro. Todos os coordenadores de pastorais, serviços e movimentos estão convocados.
A Assembléia será realizada no Centro Pastoral Paroquial.